Edinho Vilas Boas é cantor, compositor, violonista e técnico em música formado pelo Instituto Federal do Ceará. Começou a cantar profissionalmente em 1996, de lá pra cá, o artista vem numa ascendente carreira, sendo premiado em festivais, como foi o caso em 2009 (prêmio de melhor intérprete no festival da serra de Meruoca) e 2010 (primeiro lugar no festival Canta Ceará ). Ganhou também o prêmio de melhor intérprete do 19° festival de Tatuí em São Paulo entre outros.

Aceitou convites para fazer abertura de shows de artistas como Luiz Melodia, banda Cidade Negra, Nando Reis e Guilherme Arantes, sempre transitando entre a mpb, o samba e o pop. As novas roupagens em clássicos também são marcas expressivas de seu trabalho.
Recentemente participou em duas faixas do DVD "Luar de sol" de Jorge Vercillo e finalizou a gravação do seu terceiro disco autoral intitulado "RETUMBANTE".


Edinho Vilas Boas lançou três discos próprios. O primeiro foi o álbum "Hoje à Noite" que traz na faixa "Retrato da Vida", a participação especial de Dominguinhos. O segundo foi o cd " Vida Voz e Violão ", gravado ao vivo no teatro Sesc Senac Iracema também em Fortaleza.

Viveu em 2005 o malandro no espetáculo "A Ópera do Malandro" de Chico Buarque de Holanda, adaptação do grupo fortalezense Assuncena.

Fez turnê em Portugal apresentando o show "Vila Portela" em vários segmentos portugueses como: Universidade do Porto (Cidade do Porto), Café Guarany (Porto), Servartes (Porto), Bar Alto Astral (Porto), Bar Musicais (Lisboa), evento da Cofidfis (Costa da Caparica), além de ter fechado um circuito com a rede.

Edinho Vilas Boas, é um dos nomes mais conceituados da cena musical independente do Ceará. O músico tem levado a música cearense para além das fronteiras realizando shows em outros estados e participando e vencendo importantes festivais de música ao longo do País.

No início de 2015, Edinho produziu seu terceiro e mais recente CD, Retumbante. O disco reúne composições feitas durante turnê em Portugal em 2007, canções com as quais concorreu e venceu festivais, e composições feitas especialmente para este trabalho, reunindo parcerias com outros compositores cearenses como Jefferson Portela, Rui Farias, Edil Figuerêdo e Shirley Diógenes. Vilas Boas inseriu também nesse trabalho, a obra do artista gráfico e plástico cearense Márcio Monte.